Contexto histórico

Este primeiro vídeo apresenta os antecedentes históricos do livro de Ageu, o tema principal e a estrutura do livro.

Este vídeo foi dublado em polonês: https://youtu.be/okiZaxXCmiQ

Antes de mergulharmos no estudo do livro de Ageu, vamos tomar alguns momentos para traçar um retrato geral do livro, a fim de melhor apreciarmos seu contexto histórico.

Isso nos permitirá compreender melhor a mensagem e tirar algumas aplicações práticas para nossas vidas.

Contexto histórico

Para compreendermos bem o contexto histórico da profecia de Ageu, precisamos ler os primeiros seis capítulos do livro de Esdras. Os primeiros quatro capítulos apresentam o retorno de parte do povo que voltava da Babilônia para Jerusalém após as deportações ocorridas durante o reinado de Nabucodonosor, e o início dos trabalhos de reconstrução do templo. Os capítulos cinco e seis apresentam os eventos que aconteceram durante a profecia de Ageu.

Aqui estão alguns detalhes.

No ano 538 a.C., Ciro, rei da Pérsia, proclamou que os judeus retornassem ao seu país para reconstruir a casa do Senhor.

É importante entendermos que esse chamado para retornar à terra veio com a ordem de reconstruir o templo do Senhor.

Lemos em 2 Crônicas 36:23: “Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O SENHOR Deus dos céus me deu todos os reinos da terra, e me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém, que está em Judá. Quem há entre vós, de todo o seu povo, o SENHOR seu Deus seja com ele, e suba.”

Também lemos em Esdras 1:2: “Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O SENHOR Deus dos céus me deu todos os reinos da terra, e me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém, que está em Judá.”

E Isaías 44:28 também havia anunciado profeticamente a mesma coisa: “[O SENHOR,] Que digo de Ciro: É meu pastor, e cumprirá tudo o que me apraz, dizendo também a Jerusalém: Tu serás edificada; e ao templo: Tu serás fundado.”

Assim, cerca de cinquenta mil pessoas retornaram a Jerusalém, e no sétimo mês restauraram o altar em seu lugar, e ofereceram sacrifícios. No ano seguinte, eles lançaram a fundação do novo templo. Mas seus inimigos debilitaram suas mãos, os fizeram ter medo de construir, e fizeram todo o possível para frustrar seus planos. Acabaram por obter uma ordem do rei para parar o trabalho, depois de terem enviado uma carta mentirosa, e correram para Jerusalém para parar tudo "à força e com violência". Desânimo, falta de energia, oposição das autoridades... falta de fé. Talvez lhes tenha ocorrido a ideia de que se o Senhor realmente quisesse que esse projeto se concretizasse, não haveria tanta oposição. Há muito a ser dito aqui, mas ainda voltaremos a isso.

E assim, as pessoas voltaram a suas casas, cuidando de seu próprio conforto material. Mas Deus as havia enviado para que o templo fosse reconstruído. E como o trabalho não estava mais progredindo, Deus não lhes deu mais a bênção que esperavam do trabalho de suas mãos, e enviou uma seca à terra.

Mas no ano 522 a.C., Dario I subiu ao trono, e no ano 520, Deus usou Ageu e Zacarias para falar com seu povo para despertá-lo e chamá-lo para construir o templo.

Em sua segunda mensagem ao povo, Ageu anuncia claramente a razão pela qual o templo tinha que ser reconstruído: era em vista da vinda do Messias. Sim, o templo teve que ser reconstruído porque logo "virá o Desejado de todas as nações, e encherei esta casa de glória, diz o SENHOR dos Exércitos.” (Ageu 2:7 - ARC).

Esta era a vontade de Deus para seu povo Israel: reconstruir o templo, pois logo o Messias, o Cristo, haveria de vir!

Mas infelizmente, o povo havia se tornado relaxado e a ordem do rei Assuero havia posto um fim ao trabalho há cerca de dois anos. Essa parada talvez até tenha sido uma disciplina de Deus para Israel, devido à sua falta de fé e fervor.

E assim foi que "No segundo ano do rei Dario, no sexto mês, no primeiro dia do mês, veio a palavra do SENHOR, por intermédio do profeta Ageu, a Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá, e a Josué, filho de Jozadaque, o sumo sacerdote, dizendo: Assim fala o SENHOR dos Exércitos" (Ageu 1:1-2).

Após a mensagem de Ageu, os corações dos filhos de Israel são tocados e não mais temem a oposição, eles agora perseveram com fé no trabalho da reconstrução. Em Esdras 6:14 lemos que é através da profecia de Ageu e Zacarias que eles prosperam. E em 516 a.C., o trabalho foi concluído.

Para nós cristãos, essas coisas "estão escritas para aviso nosso" (1 Coríntios 10:11). Deus deseja que construamos sua Casa. Para o judeu, era um edifício. Para nós é a Assembleia, a Igreja, da qual cada crente é uma pedra viva. Quando olhamos para o estado do testemunho cristão hoje, para a divisão dos crentes em várias denominações, e também para todo o mal que está sendo feito em nome do cristianismo, vemos o quanto isso desonra o nome do Senhor Jesus e o quanto está longe das verdades bíblicas.

Não obstante, o Senhor deseja que perseveremos em caminhar fielmente de acordo com os ensinamentos de Sua Palavra. Não devemos procurar fazer algo novo, mas sim, como o povo tinha restaurado o altar ao seu lugar, devemos procurar construir bem sobre o fundamento que foi colocado de uma vez por todas. O apóstolo Paulo escreveu: "Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo" (1 Coríntios 3:11). É somente Jesus Cristo para a salvação, para a vida, e como o único centro de nossas reuniões cristãs. Tudo o que precisamos é obedecer à Palavra de Deus a fim de construir sobre a base que é Cristo.

Podemos nos regozijar com o que Deus ainda está fazendo hoje, tanto quanto podemos chorar quando vemos o estado atual das coisas. O homem falhou em sua responsabilidade de construir bem. Mas uma coisa permanece certa, Deus quer que continuemos fielmente! Não nos falte fé e fervor, mas sejamos como lemos em Romanos 12:11: “Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor”.

É por isso que o Senhor falou a Seu povo através de Ageu. Era para encorajá-los a perseverar. E também é nosso desejo sermos encorajados a perseverar enquanto estudarmos com mais detalhes esta mensagem que Deus enviou a Seu povo através de Ageu, o mensageiro do Senhor (1:13).

Temas e estrutura

Para concluir esta apresentação geral, poderíamos sumarizar o tema principal do livro de Ageu da seguinte forma:

Deus quer alcançar a consciência de um povo que está morno e negligente, e que busca seu próprio interesse, para que possam retomar zelosamente a reconstrução do templo.

Este livro de dois capítulos se divide naturalmente em quatro mensagens. Cada mensagem é datada precisamente a partir do momento em que o Senhor falou através de Ageu.

  • O capítulo 1, versículos 1 a 15, é um chamado ao povo para considerar seus caminhos e o estado da casa do Senhor. Também vemos ali o resultado do trabalho do Espírito em seus corações.
  • O capítulo 2, versículos 1 a 9, é um encorajamento para perseverar no trabalho da reconstrução.
  • Os versículos 10 a 19 nos mostram a importância da pureza e da santidade em conexão com a casa do Senhor, e que há bênção na obediência.
  • Finalmente, nos versículos 20 a 23, temos o anúncio profético da deposição dos reinos e o estabelecimento dAquele a quem Deus escolheu.

Voilà! Isso completa esta apresentação do livro de Ageu.

Próximo